Deputados de esquerda lidaram com agressividade da apresentação após Abraham Weintraub, ministro da Educação do Governo Bolsonaro, citar os “roubos” na Petrobras e anunciar que não mais terá “dinheiro livre”.

Ele afirmou que haverá o resgate de R$2,5 bilhões roubados da estatal, para uso na educação e afirmou:

“A gente sempre vai ter que buscar racionalidade e transparência. A era de jogar dinheiro sem perguntar aonde vai e o ‘porquê’ acabou!”, anunciou o ministro. Ele apresentou, além disso, os projetos do ministério para deslindar a carência de recursos.