Na última terça-feira (04), o presidente Jair Bolsonaro conclamou a população para comparecer as festividades do dia 7 de setembro, com roupas das cores da bandeira nacional, o verde e amarelo.

Após o pedido o presidente, a esquerda já tratou de tentar boicotar o dia, pedindo para as pessoas, através das redes sociais, para usarem a cor preta no próximo sábado.

A UNE, por exemplo publicou em seu Twitter:

“#Dia7EuVouDePreto contra a retaliação do Bolsonaro, que quer calar os estudantes que lutam pela Educação. Jair Bolsonaro deveria se preocupar com as universidades que estão fechando em detrimento dos cortes de verbas. Dia 7 estaremos nas ruas, de roupa preta e cara pintada.”

Políticos de esquerda também aderiram e estão ajudando a divulgar a ideia, como no caso da comunista Manuela D’ávila.

“Eu sempre pintei as cores do Brasil em meu rosto. Como registra essa foto de 2005. Nesse sábado, dia 7, eu vou pra rua de preto. Com meu rosto pintado de verde e amarelo, as cores de quem tem esperança e luta por um Brasil mais justo.#Dia7EuVouDePreto” escreveu a ex-candidata a vice-presidência

No momento em que essa matéria estava sendo escrita, a esquerda conseguiu colocar a hashtag em primeiro lugar dos Trend Topics do Brasil (assuntos mais falados).