Nesta sexta-feira (13), o episódio que envolve a esposa do deputado federal Eduardo Bolsonaro, onde um repórter do Grupo Globo se fingiu de homossexual para se consultar com a mesma, causou um certo alvoroço nas redes sociais.

O jornalista da revista Época, se fingiu de homossexual para se consultar com a psicóloga Heloísa Bolsonaro, a fim de produzir uma reportagem em que expõe a forma de trabalho da profissional. Na internet, a hashtag ‘Família Marinho Lixo’ ficou entre os assuntos mais comentados na tarde desta sexta-feira.

Em matéria recebeu o título de “O coaching on-line de Heloísa Bolsonaro“, e foi publicada hoje (13/09). O jornalista João Paulo Saconi torna público opiniões pessoais da nora do presidente Jair Bolsonaro.

Em uma publicação em seu Instagram, Helísa falou à cerca do assunto:

“Quarta-feira peguei meu celular e havia vários chamadas perdidas de um ‘ex-cliente’. Logo que vi, retornei, preocupada. ‘Será que está bem?’ pensei. ‘Então, estou ligando para te comunicar que eu registrei todas as nossas 5 sessões e vou publicar na revista Época. Você quer falar alguma coisa?’ Juro que eu nem entendi na hora, até respondi, confusa: ‘Oi?’ e perguntei: ‘Mas você acha ético isso?’. O ex-cliente nunca se identificou como jornalista e muito menos que publicaria uma matéria, o que não teve minha autorização. Cheguei a questioná-lo na ligação, pois não estava acreditando: ‘Você já tinha a intenção de fazer isso, ao me contratar?’ e ele ‘sim’. Senti-me completamente violada. Em nenhum momento o mesmo informou que estaria gravando. Inclusive, o jornalista quando questionado seu nome completo, ocultou seu último sobrenome, o mesmo que ele assina suas matérias”.

Seu marido, Eduardo Bolsonaro, e seu sogro, o presidente Jair, também comentaram e repudiaram o acontecido.