Durante discurso feito na ONU, o Presidente Jair Bolsonaro mandou um forte recado indireto a Emmanuel Macron, Presidente da França, ao dizer que tinha um país colonialista que queria explorar as riquezas da Amazônia. 

  Após a conferência, o presidente francês foi indagado e respondeu: “Eu estava em uma correria e não vi o discurso”.

  Ao complementar a resposta, Macron falou com um tom bem mais leve daquele usado tempos atrás quando a Amazônia estava em chamas:

 

“Eu acho que todos nós só queremos ajudar as pessoas da Amazônia. (…) Temos muitas pessoas envolvidas no (debate sobre) futuro da Amazônia e acho que o que queremos fazer é ajudar as pessoas, com completo respeito pela soberania, ajudando o povo. Não é questão de lobby ou interesse, os lobbies são para destruir a floresta para seus próprios interesses. O que nós queremos fazer é ajudar pessoas para elas mesmas e para o futuro da Amazônia, porque é um bem comum.”