O partido Socialismo e Liberdade (PSOL) de figuras conhecidas como o deputado federal Marcelo Freixo, e o ex-candidato a presidência, Guilherme Boulos, apresentou um projeto para barrar a implementação de uma ideia que visa implementar mais escolas militarizadas pelo Brasil.

O partido alega que por não haver  “evidências do impacto da militarização na qualidade do ensino público, ou se explica, seja a pertinência, seja a legalidade de empregar militares da ativa ou da reserva, das Forças Armadas, das forças auxiliares dos Estados e do Distrito Federal, no desempenho de funções de gestão educacional absolutamente estranhas a sua área de formação e atuação”.

No entanto, de acordo com dados mostrados pela site Gazeta do Povo, os demonstrativos de Desenvolvimento da Educação Brasileira (Edeb), mostram que a qualidade do ensino em escolas de modelo militarizado são bons. O Ideb ainda mostra que a pontuação geral de escolas públicas não-militarizadas é de aproximadamente 5,5 pontos. Já em escolas geridas por militares, a pontuação chega na casa dos 6 e 7 pontos, de acordo com dados do ano de 2015.

Com a informação: Republica de Curitiba e Gazeta do Povo