Após a matéria sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco, em que tenta vincular o presidente Bolsonaro ao crime contra psolista, a Rede Globo perdeu um grande anunciante no estado do Paraná, que foi o das lojas Havan.

Na ocasião, Luciano Hang, dono da empresa, emitiu uma nota através de suas redes sociais explicando os motivos pelos quais o fez tomar essa decisão. O principal, é claro, foi o ‘viés ideológico’ da emissora, que segundo a nota, prejudica o jornalismo da mesma.

Dias depois, mais uma grande empresa decidiu afastar seus anúncios da TV da família Marinho. Trata-se da Nutriama, uma distribuidora de alimentos do estado do Amapá.

Assim como a Havan, a Nutriama emitiu um comunicado em suas redes sociais e argumentou que o ‘jornalismo com viés político’ prejudica o ‘desenvolvimento do país’.

“Não concordamos com jornalismo de viés político, e que é contra o desenvolvimento, geração de empregos e melhoria das condições de vida do povo, e do nosso Amapá e do Brasil. Não voltaremos a anunciar enquanto os programas da Rede Globo não contribuírem para a valorização da família e da Justiça” argumentou a destribuidora

Além disso, os responsáveis pela Nutriama, os empresários Adiomar Roberto Veronese e Jaime Domingues Nunes, fizeram uma convocação para que outras empresas também façam a adesão ao boicote contra o veículo de comunicação.

“Entendemos que o setor empresarial tem que ter a coragem e a responsabilidade de não aceitar, calado e omisso, os erros e abusos por parte da imprensa ideológica e que torce para o “quanto pior melhor” “ afirmou em comunicado