O procurador Deltan Dellagnol, que vem fazendo um trabalho brilhante a frente da Lava Jato em Curitiba, partiu para o contra-ataque contra o ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes.

Deltan entrou com um processo de danos morais contra o ministro da Suprema Corte, e pede um valor de 59 mil reais.

Na ação impetrada pelo procurar, Deltan argumenta que em entrevistas, Gilmar se manifestou de forma bastante ofensiva contra sua pessoa. Em uma delas, em 7 de agosto deste ano, Gilmar teria declarado que a força-tarefa liderada por Deltan era uma organização criminosa.

Mendes ainda teria ofendido os integrantes da operação de “cretinos”, “gentalhada”, “desqualificada”, “despreparada”, “covardes”, “gângster”, “organização criminosa”, “voluptuosos”, “voluntaristas”, “espúrios”, “patifaria” e “vendilhões do templo”.