O presidente da República Jair Bolsonaro, durante cerimônia da Operação Acolhida, que faz parte do programa de refugiados venezuelanos, não se conteve e, em tom de desabafo, afirmou que “esquerdistas não devem ser tratados como pessoas normais”.

“Temos outro país aqui no Brasil. Quis o povo me eleger para governar aqueles que no passado colocaram o país na dificuldade que se encontra. Não adianta ter raiva, culpar os outros, achar que sem cada um fazer sua parte vai garantir dias melhores. Peço a Deus que continue abençoando o nosso Brasil, abra a mente de quem está do lado da esquerda. Essa maldita esquerda que não deu certo em lugar nenhum e que quer que ela volte ao poder. Agradeço a Deus pelo milagre da eleição” declarou o presidente

E prosseguiu:

“Não dê chance para essa esquerda. Eles não merecem ser tratados como se fossem pessoas normais, como se quisessem o bem do Brasil, isso é mentira. Não podemos em 2022 chegar na situação que chegou a Argentina no corrente ano ou como está o Chile, que está caminhando para o caos, o socialismo”

“Não podemos deixar que os nossos filhos cheguem na situação dessa garotada que está do meu lado, fugida do país [a Venezuela]”

O Chefe do poder executivo ainda mencionou o petista Fernando Haddad, a quem derrotou no segundo turno nas eleições presidenciais do ano de 2018.

“Se o Haddad estivesse aqui, vocês (venezuelanos) não estariam aqui. Ele estaria lá com o Maduro. Então, o que mais temos de sagrado, que é nossa liberdade, a democracia, temos que zelar e lutar por ela todos os dias. Caso contrário, podemos entrar na situação da Venezuela.”

Com a informação: UOL