O presidente da República, Jair Bolsonaro, após anunciar a demissão do secretário que, em discurso, citou Goebbels – ministro de propaganda do ditador alemão Adolf Hitler – reiterou seu compromisso pela liberdade e contra regimes totalitários e genocidas.

“Comunico o desligamento de Roberto Alvim da Secretaria de Cultura do Governo. Um pronunciamento infeliz, ainda que tenha se desculpado, tornou insustentável a sua permanência”

E continuou:

“Reitero nosso repúdio às ideologias totalitárias e genocidas, como o nazismo e o comunismo, bem como qualquer tipo de ilação às mesmas. Manifestamos também nosso total e irrestrito apoio à comunidade judaica, da qual somos amigos e compartilhamos muitos valores em comum”.