O presidente da República, Jair Bolsonaro, embora tenha sancionado o novo fundo eleitoral – popularmente conhecido como fundão – declarou que o seu novo partido, o Aliança pelo Brasil, não usará tal verba. A afirmação do Chefe de Estado foi durante o seu discurso em um evento para agitar apoiadores da nova sigla.

Bolsonaro alegou que se não sancionasse o fundo aprovado pelo Congresso Nacional, correria o risco de sofrer uma abertura de um processo de impeachment, por crime de responsabilidade. O mandatário afirmou que sancionou o polêmico fundo contra a sua vontade, no entanto, confirmou que o Aliança não fará uso do dinheiro para ganhar apoiadores e nem nas disputas eleitorais deste ano, levando em conta a possibilidade do partido conseguir as assinaturas suficientes para oficializar a criação dentro do prazo determinado.

“Temos que agir com inteligência. De vez em quando, recuar. Algumas coisas, eu sanciono contra a minha vontade. Outras, eu veto contra a minha vontade também. O Brasil não sou eu”, afirmou o Chefe de Estado

No mesmo evento, Bolsonaro ainda confirmou que pretende tentar a reeleição no ano de 2022. De acordo com ele, caso seu novo partido conseguir se impulsionar, é capaz de criar um bancada de até mesmo 100 parlamentares no Congresso em até dois anos.