O ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, falou nesta sexta-feira(14) em um possível confronto militar com o Brasil.

  O tirano acusou o Presidente Bolsonaro de arrastar o Brasil a um “conflito armado” contra a Venezuela, o que usou como justificativa para exercícios militares que serão realizados no fim de semana.

“Bolsonaro está arrastando as forças militares do Brasil para um conflito armado contra a Venezuela, ao amparar um grupo de terroristas que atacou um quartel militar venezuelano”, disse o ditador à imprensa internacional.

  Maduro se referia ao assalto de militares desertores contra um destacamento da Força Armada venezuelana no estado Bolívar (sul, na fronteira com o Brasil) em 22 de dezembro.

  Além de chamar o Presidente do Brasil de fascista — prática comum entre os esquerdistas —, o ditador  afirmou expressamente que Bolsonaro estaria por trás das ameaças terroristas contra a Venezuela. 

  Ele ainda declarou que estaria mobilizando equipamentos bélicos em todo território nacional da Venezuela. 

“Estamos mobilizando todos os sistemas de mísseis terra-ar, terra a terra, os sistemas de foguete, todas as formas de defesa antiaérea, aérea, terrestre, em todo o território nacional, para nos prepararmos, para defender o direito à paz, à integridade territorial”, declarou Maduro. 

  Apesar das palavras de efeito do tirano, como diz aquele velho ditado, “cão que late muito não morde”. O Brasil é várias vezes maior que a Venezuela em população, território, poder industrial e capacidade econômica. Nicolás Maduro sabe disso e não é nenhum louco.