Em comentário feito nas redes sociais sobre a crise vivida pelo Brasil por conta do Coronavírus (COVID-19), o presidente do Brasil voltou a mostrar preocupação com os trabalhadores informais.

  Por decorrência de restrições severas impostas por algumas autoridades públicas para combater o novo vírus, o comércio informal está parado em várias partes do Brasil.

  Segundo o próprio Bolsonaro, são quase “40 milhões de trabalhadores autônomos”  que “já sentem as consequências de um Brasil parado”. São pessoas que trabalham de dia para comer à noite. 

 “Quase 40 MILHÕES DE TRABALHADORES AUTÔNOMOS já sentem as consequências de um Brasil parado. Sem produzir, as empresas NÃO TERÃO COMO PAGAR SALÁRIOS. SERVIDORES DEIXARÃO DE RECEBER. Não tem como desassociar emprego de saúde. Chega de demagogia! NÃO HÁ SAÚDE NA MISÉRIA!”, disse o presidente

  O líder máximo da nação ainda afirmou que não está preocupado com sua popularidade. 

 “É mais fácil fazer demagogia diante de uma população assustada, do que falar a verdade. Isso custa popularidade. Não estou preocupado com isso! Aproveitar-se do medo das pessoas para fazer politicagem num momento como esse é coisa de COVARDE! A demagogia acelera o caos.
 
  Se estivesse pensando em mim, lavaria as mãos e jogaria para a platéia, como fazem uns. Penso no povo, que logo enfrentará um mal ainda maior do que o vírus se tudo seguir parado. NÃO CONDENAREI O POVO À MISÉRIA P/ RECEBER ELOGIO DA MÍDIA OU DE QUEM ATÉ ONTEM ASSALTAVA O PAÍS!”, declarou Bolsonaro