Os deputados federais Filipe Barros e Carla Zambelli, ambos do PSL – partido do presidente Jair Bolsonaro -, reagiram categoricamente após Gleisi Hoffmann, Glenn Greenwald e demais politicos de esquerda fazerem acusações rudes contra o ministro da justiça e segurança pública de Bolsonaro, Sérgio Moro.

A deputada Carla Zambelli iniciou refutando difamações no que toca à recente viagem do ministro e, em seguida, mostrou a hipocrisia dos parlamentares esquerdistas e de Greenwald. Na ocasião, Zambelli expôs a importância da Operação Lava Jato e classificou Lula como o verdadeiro marginal e chefe de quadrilha.

Já Felipe Barros, por sua vez, refutou afirmações imprudentes de Greenwald e explicou por quais motivos o considera um militante – e não um comunicador.